Geral 16/02/2018 - 16:36 - Núbio Brito / Governo do Tocantins

Agência de Regulação atinge meta proposta em Operação de Carnaval

504 veículos foram fiscalizados 504 veículos foram fiscalizados - Núbio Brito / Governo do Tocantins

Com a finalidade específica de fiscalizar e coibir o transporte clandestino de passageiros, além de orientar a prestação de serviços do transporte rodoviário intermunicipal e interestadual, do sistema Convencional, Alternativo e Fretamento Eventual ou Contínuo nos municípios do Estado, a Agência Tocantinense de Regulação (ATR) realizou, entre os dias 9 e 15 deste mês, nas regiões sul, sudeste, central, norte e Bico do Papagaio, a Operação Carnaval.

Divulgado pela ATR nesta sexta-feira, 16, o balanço da operação teve como apoiadores a Polícia Rodoviária Federal, a Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros, o Departamento Estadual de Trânsito do Tocantins, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a Guarda Metropolitana.

De acordo com a Diretoria de Fiscalização da ATR, as principais infrações encontradas durante a operação foram: passageiros sem bilhetes de passagens, alteração do horário do Esquema Operacional de Serviço (EOS), veículos em operação sem a documentação de porte obrigatório, excesso de passageiros sendo transportados nos veículos e motoristas em operação sem o cadastro na Agência.

Durante a operação, 504 veículos foram fiscalizados, 48 autos infrações aplicados e duas remoções. Já o fluxo de pessoas viajando foi de 7.057 passageiros.

Para o diretor de fiscalização da ATR, Gustavo Araújo, a operação atingiu o esperado e um dos motivos para o êxito da operação foi a unificação das forças de fiscalização. “Demos um passo importante no combate às irregularidades no transporte intermunicipal, esperamos que isso continue para que a população, de um modo geral, tenha um transporte público mais seguro e confortável”, disse.

A operação foi desenvolvida nos municípios de Palmas, Paraíso do Tocantins, Gurupi, Dianópolis, Araguaína e Araguatins, com autuações e notificações aos prestadores de serviços que estavam em situações irregulares, objetivando a correção das falhas e propiciando um transporte público mais seguro e confortável.